Mundo

11/05/2022 as 13:25

Procurador paraguaio é assassinado em lua de mel na Colômbia

Ela, no entanto, confirmou ao jornal El Tiempo que não recebeu nenhuma ameaça.

Agência: Ansa
Foto: Divulgação/Claudia Aguilera/https://ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/intern<?php echo $paginatitulo ?>

Marcelo Pecci, um procurador paraguaio que lutava contra o crime organizado, foi assassinado durante a sua lua de mel em uma ilha turística na Colômbia.

A esposa do procurador, a jornalista Claudia Aguilera, revelou que o marido foi baleado por dois criminosos em uma praia particular em Barú. Ela, no entanto, confirmou ao jornal El Tiempo que não recebeu nenhuma ameaça.

"Dois homens atacaram Marcelo. A dupla veio através de um pequeno barco, ou em um jet ski, a verdade é que eu não consegui reparar direito. Um deles se aproximou sem dizer nenhuma palavra e atirou duas vezes", explicou Aguilera, que momentos antes do assassinato do marido havia anunciado que estava grávida.

O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benítez, comentou em suas redes sociais que o ataque sofrido por Pecci foi um "assassinato covarde". As autoridades dos Estados Unidos, do Paraguai e da Colômbia vão investigar o caso.

O procurador era especialista em crime organizado, tráfico de drogas e lavagem de dinheiro. Em 2020, ele trabalhou ativamente em um caso envolvendo o ex-jogador brasileiro Ronaldinho Gaúcho, que foi detido ao tentar entrar em solo paraguaio com um passaporte falso.