Mundo

10/05/2022 as 14:10

Chance de aquecimento de 1,5ºC até 2026 é de 50%, diz OMM

Meta do Acordo de Paris está perto de ser descumprida

fonte
Foto: Ansa / https://ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/ambiente/2022/05/10/chance-d<?php echo $paginatitulo ?>

Subiu para 50% a probabilidade de a temperatura média global atingir o patamar de 1,5°C acima dos níveis pré-industriais em algum dos próximos cinco anos, descumprindo a meta mais ambiciosa do Acordo de Paris sobre o clima.

É o que diz um novo relatório divulgado nesta terça-feira (10) pela Organização Meteorológica Mundial (OMM), agência climática subordinada às Nações Unidas (ONU). De acordo com a OMM, essa probabilidade vem aumentando constantemente desde 2015, quando estava próxima de zero.

Para o período de 2017 a 2021, a chance de se chegar a um aquecimento global de 1,5°C era de 10%, valor que subiu para 50% para um dos anos do quinquênio entre 2022 e 2026.

"Esse estudo mostra, com alto nível de competência científica, que estamos nos aproximando notavelmente do objetivo mais baixo do Acordo de Paris. O dado de 1,5°C não é uma estatística casual, mas sim um indicador do ponto no qual os impactos climáticos se tornarão cada vez mais danosos para as pessoas e todo o planeta", disse o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.

Em 2021, a temperatura média global já ficou 1,1°C acima dos níveis pré-industriais, segundo estimativa provisória da agência meteorológica. "Enquanto emitirmos gases do efeito estufa, as temperaturas continuarão subindo, assim como nossos oceanos continuarão se tornando mais quentes e ácidos, o gelo marinho e as geleiras continuarão derretendo, o nível do mar continuará subindo e nosso clima se tornará mais extremo", acrescentou.

Ultrapassar o patamar de 1,5°C por um ano não significaria o descumprimento definitivo da meta do Acordo de Paris, mas aumentaria o risco de essa condição se prolongar por muito tempo.

Assinado em 2015, o tratado climático estabelece como objetivo manter o aquecimento global neste século "bem abaixo" de 2°C em relação aos níveis pré-industriais.

No entanto, compromete as partes a realizar "esforços para limitar o aumento da temperatura a 1,5°C", meta que foi reafirmada na COP26, em Glasgow, em novembro passado.