Mundo

21/11/2021 as 19:36

Polícia prende manifestantes em 2ª noite de protestos na Holanda

Grupo fez ato contra novas medidas anti-Covid

Agência: Ansa
Foto: Ansa / https://ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/internacional/2021/11/21/pol<?php echo $paginatitulo ?>

Pelo menos cinco policiais ficaram feridos e 40 pessoas foram presas em três províncias na Holanda, neste sábado(20), durante a segunda noite de confrontos nos protestos contra o novo lockdown anunciado contra a Covid-19 no país.

As autoridades holandesas usaram canhões de água, cães e policiais foram acionados para barrar militantes que provocaram incêndios e atiraram pedras e fogos de artifício nos agentes.

Cinco policiais ficaram feridos em Haia, onde foi registrado o maior número de prisões. Outros motins ocorreram em duas cidades na província de Limburg, no sul, na cidade de Urk, e na província de Flevoland, no norte.

Os protestos contra as restrições anti-Covid e aos planos do governo de restringir o acesso de pessoas não vacinadas a alguns lugares públicos foram iniciados na última sexta-feira (19) em Rotterdam, onde a polícia abriu fogo contra a multidão.

A mobilização ocorreu após o primeiro-ministro holandês, Mark Rutte, anunciar na semana passada a reintrodução de um lockdown parcial junto com uma série de medidas sanitárias.

"Foi uma orgia de violência, não consigo descrever o que aconteceu de outra forma", diz o prefeito de Rotterdam, Ahmed Aboutaleb.

Segundo as autoridades, entre os manifestantes havia vários infiltrados, culpados de terem lançado pesados fogos de artifício, queimando e danificando carros no centro da cidade.

Em Amsterdã, a grande manifestação anunciada nos últimos dias foi cancelada. Mas centenas de pessoas marcharam da mesma forma no Rokin, no centro, de forma pacífica, como também aconteceu em Breda. "São protestos, os de Rotterdam eram um grupo de idiotas", explica um holandês.