Mundo

30/04/2021 as 16:00

Variante britânica prevalece sobre brasileira na Itália

A P.1, surgida em Manaus, não conseguiu aumentar prevalência

Agência: Ansa
Foto: Ansa / ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash<?php echo $paginatitulo ?>

Um estudo divulgado nesta sexta-feira (30) pelo Ministério da Saúde da Itália mostrou que a variante britânica do coronavírus Sars-CoV-2 aumentou sua predominância no país, enquanto a brasileira ainda não conseguiu elevar sua prevalência.

Segundo pesquisa conduzida pelo Instituto Superior da Saúde (ISS), órgão técnico-científico ligado ao governo, a variante B.1.1.7, surgida no Reino Unido, corresponde a 91,6% dos novos casos do Sars-CoV-2 na Itália.

Os dados se referem a análises de sequenciamento genético em amostras coletadas em 15 de abril. Em 18 de março, a prevalência da variante britânica era de 86,7%; em 18 de fevereiro, de 54%; e no início de fevereiro, de 17,8%.

Já a variante P.1, originária de Manaus, corresponde a 4,5% dos novos casos na Itália, índice em linha com aqueles revelados pelos estudos de março (4%) e fevereiro (4,3%).

"No contexto italiano, no qual a vacinação está caminhando, mas ainda não atingiu coberturas suficientes, a difusão de variantes de maior transmissibilidade pode ter um impacto relevante se não forem adotadas medidas adequadas de mitigação", diz o ISS.

"Enquanto a linhagem B.1.1.7 já é amplamente predominante, uma atenção particular deve ser reservada à variante P.1, cuja prevalência permaneceu praticamente invariável em relação aos estudos anteriores", acrescenta o instituto.

Ainda segundo o ISS, as outras variantes monitoradas correspondem a menos de 0,5% dos novos contágios, incluindo um caso da indiana (B.1.617.2) e 11 da nigeriana (B.1.525).