Mundo

30/04/2021 as 07:25

Itália enviará profissionais de saúde do Piemonte para Índia

Premiê agradeceu governador da região durante ligação

Agência: Ansa
Foto: EPA / Ansa / ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/internacional/<?php echo $paginatitulo ?>

O governo italiano enviará uma equipe de profissionais de saúde da região de Piemonte para ajudar a Índia no combate à pandemia do novo coronavírus Sars-CoV-2.

"Temos orgulho disso: quando a Itália chama, o Piemonte responde", disse o governador Alberto Cirio, que recebeu uma ligação de agradecimento do primeiro-ministro italiano, Mario Draghi nesta quinta-feira (29).

A região italiana irá disponibilizar ajuda humanitária e o sistema de emergência Tipo 2 (EMT2), capaz de fornecer oxigênio a todo um hospital tradicional ou de campanha. A estrutura utilizada no Piemonte é única na Itália e uma das 12 certificadas EMT2 no mundo.

Há anos, a equipe emergencial atua no cenário de desastres internacionais, com médicos do mais alto nível profissional. Na Índia, o grupo será comandado por Mario Raviolo e composto por 11 especialistas e operadores de emergência: dois médicos, duas enfermeiras, um anestesista, um infectologista, um especialista em urgências e quatro técnicos.

Já o sistema de autoprodução de oxigênio da região produz 61,8 mil litros por hora, com a capacidade de fornecer oxigênio continuamente para 68 pacientes entubados ou 17 pacientes com o aparelho CPAP, que fornece pressão de ar para desobstruir as vias aéreas, ou 103 pessoas que precisam de terapia de oxigênio.

"A experiência da pandemia nos ensinou que é fundamental unir forças na luta contra o vírus. Nos meses mais dramáticos da emergência, o Piemonte recebeu ajuda de vários países, como China, Cuba e Israel, mas também tem podido dar uma mão participando de várias missões de resgate internacionais", afirmou o conselheiro regional de Saúde, Luigi Genesio Icardi.

Segundo ele, "o Piemonte tem condições de atuar na frente de emergências internacionais com os melhores profissionais do setor".

A Índia tem registrado recordes diários de mortes e casos na pandemia, além de enfrentar escassez de oxigênio em hospitais e conviver com cremações em massa.