Em Foco

11/05/2022 as 10:38

Eurovision começa na Itália com homenagens a Luciano Pavarotti

Grupo ucraniano confirmou favoritismo ao avançar para final

Agência: Ansa
Foto: Ansa / https://ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/cultura/2022/05/11/eurovisio<?php echo $paginatitulo ?>

Com homenagens ao tenor Luciano Pavarotti, a 66ª edição do Eurovision Song Contest, principal concurso musical da Europa, começou na última terça-feira (10) na cidade de Turim, na Itália.

A famosa competição ocorre em território italiano por causa da vitória da banda Maneskin em 2021, com a música "Zitti e Buoni". Na atual edição, o país europeu vai ser representado pelos cantores Mahmood e Blanco, com a canção "Brividi".

O primeiro dia do megaevento durou pouco mais de duas horas e aconteceu com uma cenografia imponente e impactante. Entre luzes, chamas e um toque de "Nessun Dorma", a abertura do festival começou com Sherol dos Santos e os bailarinos que se revezaram no palco. As coreografias dos dançarinos lembraram os quatro elementos: água, terra, ar e fogo.

Após as saudações iniciais dos apresentadores Mika, Laura Pausini e Alessandro Cattelan, a competição foi inaugurada com a perfomance de Ronela Ajati, da Albânia.

O grupo de rap ucraniano Kalush Orchestra consolidou seu favoritismo ao avançar para a grande final de sábado (14) com a música "Stefania". A banda recebeu uma permissão especial para deixar a Ucrânia, pois homens adultos são obrigados a ficar para participar dos esforços de guerra em função da invasão russa.

Além dos ucranianos, os representantes da Suíça, Armênia, Islândia, Lituânia, Portugal, Noruega, Grécia, Moldávia e Holanda também avançaram para a decisão.

De acordo com a emissora pública Rai, o primeiro dia do evento no PalaOlimpico de Turim foi acompanhado por pelo menos 5,5 milhões de espectadores. Antes da final do concurso, uma segunda semifinal ocorrerá amanhã (12).

O país sede do concurso musical está classificado diretamente para a final, assim como os representantes do chamado "Big Five", composto por Itália, França, Reino Unido, Espanha e Alemanha, pois são as nações que mais contribuem financeiramente para a realização do evento.