Em Foco

30/07/2021 as 19:53

Filme estrelado por Lady Gaga sobre Gucci ganha 1º trailer

Dirigido por Ridley Scott, longa estreia em 24 de novembro

Agência: Ansa
Foto: Ansa / https://ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/cultura/2021/07/30/filme-est<?php echo $paginatitulo ?>

O filme 'House of Gucci, estrelado pela cantora Lady Gaga e por Adam Driver, ganhou seu primeiro trailer nesta quinta-feira (29).

A prévia publicada pela própria atriz nas redes sociais e no YouTube traz trechos do drama policial repleto de poder, paixão e morte, que levou ao assassinato de Maurizio Gucci, empresário e então presidente da grife italiana.

O filme traz Gaga no papel de Patrizia Reggiani, ex-esposa que encomendou a morte de Gucci, e estreará nos Estados Unidos no dia 24 de novembro.

O trailler foca no romance de Gucci (Adam Driver) e Reggiani (Lady Gaga). A cantora aparece com joias exuberantes e roupas de luxo, graças ao trabalho do figurinista Janty Yates. "Não me considero uma pessoa particularmente ética, mas tenho razão", diz Gaga em uma das cenas.

Além do casal protagonista, também é possível ver nas imagens Al Pacino, no papel de Aldo Gucci, filho do fundador da marca, Guccio Gucci; Jared Leto, que precisou envelhecer significativamente para ficar semelhante a Paolo Gucci, ex-presidente da grife; Jeremy Irons e Salma Hayek.

O longa, escrito por Roberto Bentivegna e dirigido por Ridley Scott, é baseado no livro "A Casa dos Gucci: Uma Sensacional História de Assassinato, Loucura, Glamour e Ganância", de Sara Gay Forden.

A produção conta a história do presidente da marca, entre 1983 e1993, que foi executado enquanto chegava ao seu escritório na via Palestro, em Milão, por um homem que disparou três tiros pelas suas costas e um na têmpora. A tragédia ocorreu a mando de sua ex-esposa, após 15 anos de casamento.

Reggiani ficou conhecida pela imprensa italiana como "viúva negra" em um dos crimes mais chocantes e escandalosos da alta sociedade da Itália. Ela cumpriu 18 anos de prisão por orquestrar o assassinato e, em 2016, foi libertada.