Política

23/03/2020 as 11:07

Viúva de Covas, Lila atuou pela área social

Ela era avó do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB)

fonte
Foto: Divulgação<?php echo $paginatitulo ?>

Viúva do ex-governador Mário Covas (1930-2001), Florinda Gomes Covas, conhecida como Lila Covas, morreu, na noite de sábado, 21, aos 87 anos em São Paulo. Ela era avó do prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB).

A morte de Lila foi confirmada no domingo pelo filho, o vereador Mario Covas Neto (Podemos), em postagem nas redes sociais. "É com profundo pesar e tristeza que comunicamos o falecimento de nossa mãe LILA COVAS. Assim que possível faremos as merecidas homenagens", escreveu Mário Covas Neto, que assinou o texto com a irmã, Renata, mãe de Bruno, que ontem cancelou sua agenda devido ao falecimento da avó.

Segundo a prefeitura de São Paulo, ela sofria de Mal de Alzheimer e morreu de causas naturais. Em nota de pesar, a prefeitura informou que não haverá cerimônia fúnebre, "em respeito à recomendação de recolhimento de toda a população" devido a pandemia do novo coronavírus. O corpo de Lila será cremado.

O governador, João Doria (PSDB), também lamentou a morte de Lila "Com enorme pesar recebemos a notícia que Lila Covas nos deixou Meus sentimentos aos filhos, Renata e Mario Covas Neto, ao seu neto, Prefeito Bruno Covas, e demais familiares e amigos. Lila foi uma mulher extraordinária. Suas lutas sociais serão eternamente lembradas."

Lila foi presidente do Fundo de Solidariedade na gestão de Mário Covas no Palácio dos Bandeirantes. Em nota, o diretório estadual do PSDB paulista disse que Lila representou uma "mudança nos paradigmas" das ações sociais no período que dirigiu o fundo.

"A história de D. Lila se confunde com a da política brasileira e do próprio PSDB", diz a nota assinada por Marco Vinholi, presidente estadual da legenda, e Carlos Blaotta, secretário-geral.

Lila se casou com Mário Covas em 1954 e os dois permaneceram juntos até o final da vida do ex-governador, em 2001. O casal teve três filhos.

Mário Covas foi governador de São Paulo por dois períodos: entre 1995 e 1998 e entre 1999 e 2001. Ele também foi senador pelo Estado, entre 1987 e 1994. Também foi prefeito da capital entre 1983 e 1985. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.