Política

12/02/2020 as 13:41

Governo recua e quer enviar texto da reforma administrativa

Proposta prevê a alteração das regras para servidores públicos

Agência: Ansa
Foto: EPA / Ansa<?php echo $paginatitulo ?>

(ANSA) - Após sinalizar uma desistência nesta terça-feira (11) de enviar ao Congresso Nacional uma proposta própria de reforma administrativa, que prevê a alteração das regras para os servidores públicos, o governo recuou e decidiu novamente por mandar um texto. O objetivo inicial era encaminhar apenas "sugestões" a um documento que já está tramitando. No entanto, a pressão do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e de outras lideranças partidárias teria feito a administração de Jair Bolsonaro mudar de ideia.

Para os parlamentares, a proposta precisa ainda obter a "digital" do governo, de acordo com o jornal "O Globo". Maia disse ao líder do governo no Senado, Fernando Bezerra (MDB-PE), que é preciso decidir o que o governo quer da agenda de reformas.

Segundo o blog da jornalista Andréia Sadi, do G1, o presidente da Câmara disse que, se o governo desistir de enviar uma proposta aos congressistas, a Câmara tratará apenas da reforma administrativa do Legislativo.

Já Bezerra explicou à publicação que Maia disse que o governo precisa de uma "posição formal" para não ficar "parecendo que Paulo Guedes quer a reforma e o Planalto, não". "Eu vou conversar com Paulo Guedes de novo, mas eu disse ontem a ele que precisamos observar os prazos, porque se não for até semana que vem, antes do carnaval, ficara difícil para aprovar antes do recesso do primeiro semestre", disse o líder do governo no Senado. Até o momento, ainda não há data para apresentar a proposta, conforme revelado por Bezerra. (ANSA)