Mundo

23/01/2021 as 16:42

Rússia prende mais de 1,6 mil em protestos a favor de Navalny

Autoridades russas prometeram uma repressão severa contra os atos

Agência: Ansa
Foto: EPA / http://ansabrasil.com.br/ansausers/brasil/flash/internacional<?php echo $paginatitulo ?>

A polícia russa prendeu centenas de apoiadores de Alexei Navalny, principal opositor do presidente russo Vladimir Putin, que foram às ruas em pelo menos 65 cidades da Rússia contra sua prisão, neste sábado (23).

Nas redes sociais, o perfil do russo compartilhou vídeos de manifestações em Khabarovsk, Vladivostok, Yakutsk, Novosibirsk, Barnaul, Ivanovo, Ecaterimburgo e Tomsk.

Ao todo, segundo dados da organização de monitoramento de protestos OVD Info, mais de 1,6 mil pessoas foram detidas durante os atos. Entre os presos, está a esposa de Navalny, Yulia Navalnaya, de acordo com uma publicação em sua conta oficial no Twitter.

As autoridades russas prometeram uma repressão severa contra os protestos, advertindo que eventos públicos não autorizados seriam "suprimidos imediatamente".O porta-voz de Putin, Dmitri Peskov, declarou que os atos são "ilegais".

No centro de Moscou, na Praça Pushkinskaya, a polícia está realizando um grande número de prisões. Um jornalista da ANSA no local testemunhou, entre outras coisas, a prisão de um menino de cerca de 12 anos. Os manifestantes gritam "fascistas, fascistas" contra os agentes e carregam cartazes com slogans pró-oposição como "Liberdade para presos políticos".

Ontem, a polícia da Rússia já havia prendido colaboradores de Navalny, incluindo sua porta-voz, Kira Yarmysh, Gheorghi Alburov, que trabalha para o departamento investigativo da fundação anticorrupção do dissidente, e Anastasia Panchenko, coordenadora dos ativistas pró-Navalny na região de Krasnodar.

Os manifestantes realizam o protesto contra a prisão de Navalny, que foi detido em seu desembarque na Rússia após passar cinco meses na Alemanha se recuperando de um envenenamento.