Mundo

22/10/2020 as 10:55

Com duro ataque, Obama diz que Trump não leva cargo a sério

Ele chamou republicano de 'tio maluco' e pediu voto dos jovens

Agência: Ansa
Foto: EPA / Ansa<?php echo $paginatitulo ?>

O ex-presidente dos Estados Unidos Barack Obama fez um duro ataque contra o atual mandatário, Donald Trump, durante um comício de Joe Biden na noite desta quarta-feira (21) na Filadélfia.

"Donald Trump é incapaz de levar o cargo a sério. [...] A sua presidência é como um reality show. Ele nunca demonstrou interesse em ninguém além de si mesmo", disse Obama.

Para o democrata, que decidiu participar ativamente da campanha eleitoral de Biden, a reputação dos norte-americanos no mundo "está em pedaços" por conta da postura de combate adotada pelo republicano desde o início do seu mandato.

Usando uma frase que se tornou popular nos EUA depois de uma entrevista de Trump, quando a jornalista Savannah Guthrie questionou o republicano sobre o motivo dele postar em sua conta no Twitter teorias conspiratórias, Obama chamou o republicano de "tio maluco".

"Mas o que vocês acham disso? Esse é o presidente dos Estados Unidos. Não é um comportamento normal, se não vem daquele tio maluco. [...] Há consequências para essas ações e isso encoraja pessoas a serem cruéis, divisoras, racistas. E isso destrói o tecido da nossa sociedade. Também tira o foco daquilo que ele está fazendo nessa administração: desmantela proteções ambientais, destrói proteções dos trabalhadores e corrói o sistema de educação pública", pontuou ainda.

Obama também falou sobre as últimas revelações publicadas pelo jornal "The New York Times" sobre os pagamentos de impostos do atual presidente, que mostraram que ele teria pago mais de US$ 188 mil em taxas em uma conta secreta na China entre 2013 e 2015. Antes disso, a publicação havia revelado que o magnata pagou apenas US$ 750 em imposto de renda nos EUA em 2016 e 2017, tendo passado 10 anos sem pagar nenhum imposto.

"Vocês conseguem imaginar o que teria acontecido se eu tivesse uma conta em segredo na China enquanto concorria à Casa Branca? Ele pagou mais taxas para um país estrangeiro do que nos EUA. Eu mesmo paguei mais taxas do que ele quando tinha 15 anos e distribuía sorvetes", disse ainda.

Falando da corrida eleitoral, Obama destacou que os "próximos 13 dias valerão por décadas" e pediu para que os jovens votem em massa, mesmo que as pesquisas de opinião mostrem que Biden tem ampla vantagem sobre Trump. Segundo ele, a democracia de um país não pode funcionar se o presidente "mente todos os dias".

Esse foi o primeiro grande evento, além da convenção democrata, que Obama participou para pedir votos por Joe Biden, quebrando a postura de neutralidade que teve no pleito anterior, em 2016.

Conforme a "CNN", o ex-presidente deve participar de mais eventos, especialmente nos estados considerados "chave" para a vitória de Biden.

De acordo com dados do site Real Clear Politics, que compila os dados de todas as pesquisas eleitorais e calcula uma média entre elas, Biden lidera nacionalmente com 7,5% das intenções de voto.