Mundo

21/09/2020 as 11:42

Ex-assessor de Sanders é torturado em prisão em Belarus, denuncia esposa

Vitali Shkliarov está preso em Belarus desde julho; autoridades o acusam de organizar comício ilegal no país

A Referência
Foto: Arquivo pessoal/Heather Shkliarov<?php echo $paginatitulo ?>

A polícia de Belarus está submetendo o ex-assessor do senador Bernie Sanders, Vitali Shkliarov, a “intensa pressão psicológica, tortura e privação de liberdades físicas básicas”, informou o portal Vice na terça (15).

O caso tornou-se conhecido depois que a esposa de Vitali, Heather Shkliarov, enviou uma carta enviada ao Departamento de Justiça dos EUA. No documento, ela pede ajuda e afirma que as agressões contra o marido tentam “forçar uma confissão que ele não cometeu”.

De origem bielorrussa, Shkliarov possui passaporte diplomático dos Estados Unidos e trabalhou nas campanhas do senador Bernie Sanders e do ex-presidente Barack Obama, em 2016 e 2012.

O ex-assessor viajou a Belarus para visitar a mãe, que tem estágio avançado de câncer e está preso desde o dia 29 de julho.

As autoridades bielorrussas o acusam de organizar um comício ilegal na cidade de Grodno para o líder da oposição, Sergiy Tikhanovsky. Segundo Heather, Vitali nunca foi à cidade e nem conheceu Tikhanovsky. “Ele estava comigo em nossa casa em Arlington, na Virgínia, nesse dia”, disse.

Uma onda de protestos se ergueu sobre Belarus depois da sexta reeleição de Aleksander Lukashenko, em 9 de agosto. Desde então, as autoridades do país aumentaram a repressão sobre opositores, ativistas e jornalistas.

Tortura grave
As violações retratadas na carta envolvem terror psicológico e total ausência de cuidados do Estado. Segundo Heather, as forças policiais movem Vitali de uma cela para outra, para “evitar sensação de estabilidade”.

“Ele foi submetido a revistas extremas, forçado a ficar nu em uma cela por horas seguidas, e nunca teve permissão para sentar-se em sua cama durante o dia”, relatou Heather. A prisão também recusou a conceder tratamento depois que Vitali apresentou sintomas de Covid-19.

Protestos em Minsk, capital de Belarus, em 16 de agosto de 2020 Foto: WikiCommons/Homoatrox

Há indício de tortura, já que um de seus dedos do pé apareceu quebrado. “Foi causado por um incidente que ele tem medo de descrever até para seu próprio advogado, e que a prisão se recusa a tratar”, completou.

EUA tenta negociar
O vice-secretário de Estado dos EUA, Stephen Biegun, já pediu às autoridades bielorrussas para que libertem Vitali e todos os outros manifestantes detidos. O secretário Mike Pompeo também mencionou o ex-assessor de Sanders no dia 8.

Os dois, no entanto, não se aprofundaram no assunto e nem especificaram quais são os esforços para libertá-lo. Ao BuzzFeed News, diplomatas, que não quiseram se identificar, relataram frustração com o caso.

Segundo informou o portal, as declarações de Pompeo e Biegun foram “corriqueiras” e não há qualquer ação dos EUA no caso.