Mundo

25/03/2020 as 15:45

Putin decreta quarentena na Rússia por coronavírus

De 28/03 a 7/04, serviços não essenciais ficarão fechados

Agência: Ansa
Foto: EPA / Ansa<?php echo $paginatitulo ?>

(ANSA) - O presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou nesta quarta-feira (25) que, entre 28 de março e 5 de abril, o país viverá uma quarentena obrigatória por conta do avanço do novo coronavírus (Sars-CoV-2) pelo país.

Em pronunciamento pela televisão, Putin afirmou que os russos devem "ficar em casa" e que todos os serviços não essenciais devem ser fechados por todo o território. No entanto, garantiu que os setores-chave do país, como os serviços médicos, transportes, bancos e alguns departamentos do setor público, permanecerão em pleno funcionamento.

"Agora é extremamente importante prevenir a ameaça da rápida difusão da doença. Por isso, a próxima semana será uma semana de férias, onde prevemos o pagamento do salário. Todas as recomendações devem ser seguidas. Precisamos proteger a nós mesmos e os nossos vizinhos. Acreditem em mim, a coisa mais segura agora é ficar em casa", disse o mandatário durante sua fala. Putin ainda pediu que os empresários não promovam demissões em massa e informou que está elaborando um pacote de ajuda econômica dedicado, especialmente, às pequenas e médias empresas russas.

Além disso, o presidente solicitou que sejam aprovadas novas taxações para que os valores arrecadados sejam usados em medidas anticrise. O pedido é que seja imposta uma tarifa de 15% sobre o capital russo que seja exportado e uma taxa de 13% (equiparada àquela sobre a renda) sobre os interesses gerados por investimentos financeiros (mas apenas se o capital investido for superior a um milhão de rublos - cerca de 12 mil euros). Na prática, tratam-se de novos impostos sobre os oligarcas e a classe mais rica da Rússia.

O presidente russo também informou que, por conta da pandemia, o referendo popular sobre a reforma constitucional - que pode lhe deixar no poder até 2036 - será remarcado em data a ser definida. A votação estava prevista para 22 de abril.

Oficialmente, a Rússia tem 658 casos do novo coronavírus registrados e nenhuma morte. No entanto, a oposição acusa o governo de maquiar os números. (ANSA)