Mundo

24/02/2020 as 11:27

Casos confirmados de coronavírus passam de 200 na Itália

Governo israelense pediu para cidadãos evitarem viagens ao país

Agência: Ansa
Foto: Ansa<?php echo $paginatitulo ?>

(ANSA) - O governo da Itália informou nesta segunda-feira (24) que ao menos 219 pessoas estão infectadas pelo novo coronavírus (Covid-2019) em mais de seis regiões do país. O número de casos foi revelado pelo comissário extraordinário para a emergência do coronavírus da Itália, Angelo Borrelli. Até o momento, a origem do contágio não foi identificada.

No momento, portanto, existem 168 infectados na Lombardia, incluindo as 5 vítimas, 18 em Emília-Romagna, 4 no Piemonte e 3 no Lazio – o casal chinês internado no Instituto Spallanzani e um pesquisador. Dos 213 casos positivos, 99 estão hospitalizados com sintomas da doença, 23 estão em terapia intensiva e 91 em isolamento domiciliar.
No Vêneto, os casos confirmados de coronavírus subiram de 27 para 32. No total existem 24 pacientes em Vo Euganeo, 4 em Mirano e 4 em Veneza.

 

Apesar do temor pela epidemia, o comissário italiano minimizou a preocupação de estrangeiros que desejam visitar o país. "No nosso país há segurança e pode vir com segurança", afirmou ao SkyTg24. "A situação está absolutamente sob controle no que diz respeito aos tratamentos, com essas medidas de contenção esperamos interromper a infecção", acrescentou. Borrelli ainda ressaltou que "não há ninguém sem assistência médica e sem o apoio da Proteção Civil". Em relação às medidas para as próximas semanas, ele afirmou que "o problema é tratado de maneira ordenada e livre de problemas para não criar mais transtornos aos cidadãos". Segundo Borrelli, o primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, se surpreendeu com a "rapidez com que houve um aumento de casos, mas a reação do governo, do sistema de saúde e da Proteção Civil foi imediata e oportuna". "Nós italianos passamos como um país indisciplinado, mas somos muito ordenados quando há precauções a serem tomadas que afetam a saúde de todos", finalizou. Hoje cedo, o ministro da Saúde de Israel, Yaacov Litzman, "aconselhou" os israelenses a "não irem para a Itália" em decorrência do aumento no número de mortes provocadas pelo coronavírus. "Estamos verificando para determinar se a Austrália e a Itália se tornarão países cujas chegadas em Israel devem ser isoladas quando entrarem em nosso território. Não temos medo de impor o isolamento", finalizou o político israelense. (ANSA)