Mundo

14/08/2019 as 19:43

Possível vitória de Fernández não afeta acordo Mercosul-UE, diz especialista

Barral disse que esse tipo de cláusula não é comum no Mercosul

Agência Sputnik
Foto: © REUTERS / Agustin Marcarian<?php echo $paginatitulo ?>

Após quatro anos no governo, Maurício Macri corre o risco de não ter sua continuidade garantida pelas urnas, isso porque neste domingo (11) a chapa composta por Alberto Fernández e Cristina Kirchner, sua vice, conseguiram a vitória nas primárias argentinas e chegam como favoritos para as eleições presidenciais que vão acontecer em outubro.
Alberto Fernández recebeu 47% dos votos no pleito, contra 32% de Mauricio Macri. Diferença de quase 15 pontos percentuais.

A possível vitória de Alberto Fernández gerou temores sobre o futuro do acordo de livre-comércio firmado em julho entre Mercosul e a União Europeia. Durante a campanha, Fernández afirmou que o tratado fechado com a União Europeia, que prevê o fim de tarifas de importação para boa parte dos produtos em até 15 anos, precisaria ser revisto. Segundo o candidato, o acordo condenará a Argentina à “desindustrialização” e só foi fechado porque Macri tinha motivações eleitorais.

Porém, em entrevista à Sputnik Brasil, Welber Barral, secretário de Comércio Exterior nos governos Lula e Dilma Rousseff, disse que seja qual for a posição de Fernandez não afetará o andamento do acordo.