Mundo

10/06/2019 as 09:56

Governo e oposição celebram resultados de eleição na Itália

País realizou segundo turno de pleito municipal neste domingo

Agência: Ansa
Foto: AnsaFlash<?php echo $paginatitulo ?>

(ANSA) - Os três maiores partidos da Itália encontraram motivos para comemorar neste domingo (9), quando 136 cidades do país foram às urnas para o segundo turno das eleições municipais de 2019.

O pleito envolveu 124 municípios com mais de 15 mil habitantes onde nenhum candidato teve mais de 50% dos votos no primeiro turno, em 26 de maio, e 12 com menos de 15 mil moradores que registraram empate há duas semanas.

Ao todo, estavam em jogo 15 capitais de província, sendo duas delas também capitais de região: Campobasso (Molise) e Potenza (Basilicata). Após a vitória nas eleições europeias, a Liga e sua coalizão de direita celebraram sobretudo em Ferrara, com Allan Fabbri (56%), que venceu em uma cidade governada pela esquerda desde o fim da Segunda Guerra Mundial, há 74 anos.

O partido de Matteo Salvini também conquistou Potenza, que já era comandada pela extrema direita, com Mario Guarente (50,3%). "Elegemos prefeitos onde a esquerda governava havia 70 anos", comemorou o ministro do Interior e vice-premier Matteo Salvini.

A coalizão de direita ainda triunfou em Forlì, com Gian Luca Zattini (53,1%); Ascoli Piceno, com Marco Fioravanti (59,3%); Biella, com Claudio Corradino (51%); Vercelli, com Andrea Corsaro (54,8%); e Foggia, com Franco Landella (53,3%).

O antissistema Movimento 5 Estrelas (M5S), aliado da Liga no governo nacional, saiu vencedor na única capital onde chegara ao segundo turno, Campobasso, com Roberto Gravina (69,1%).

Já o oposicionista Partido Democrático (PD) compensou a derrota em Ferrara com a reconquista de Livorno, tradicional feudo da esquerda italiana e que foi governada pelo M5S nos últimos cinco anos, com Luca Salvetti (63,3%).

Além disso, o PD conseguiu reeleger os prefeitos de Prato, Matteo Biffoni (56,1%), e Cremona, Gianluca Galimberti (55,9%), e venceu em Reggio nell'Emilia, com Luca Vecchi (63,3%); Rovigo, com Edoardo Gaffeo (50,9%); e Verbania, com Silvia Marchionini (50,6%).

"Existe uma alternativa a Salvini, e é uma nova centro-esquerda", disse o secretário do PD e governador do Lazio, Nicola Zingaretti. O candidato independente de esquerda Gianluca Festa venceu em Avellino, com 51,5% dos votos.

Das 26 capitais provinciais que foram às urnas em 26 de maio - incluindo cinco capitais de região -, 12 ficaram com a centro-esquerda, e 12, com a direita. O M5S venceu em uma, e um candidato independente, em outra. (ANSA)