Mundo

31/12/2018 as 10:28

Colapsa parte de edifício residencial na Rússia

Mais cedo, foi anunciada a implementação desse regime apenas na cidade russa de Magnitogorsk

Agência Sputnik
Foto: © Sputnik / Ministério para Situações de Emergência da Rússia<?php echo $paginatitulo ?>

Uma seção de um edifício residencial na cidade russa de Magnitogorsk, na região de Chelyabinsk, entrou em colapso após uma explosão de gás, relata o Ministério para Situações de Emergência da Rússia. Há pelo menos quatro mortos.
Após o incidente com o edifício residencial, as autoridades regionais introduziram o regime de emergência em todo o território da região de Chelyabinsk.

Mais cedo, foi anunciada a implementação desse regime apenas na cidade russa de Magnitogorsk.

"Em Magnitogorsk foi declarado o regime de emergência. O governador da região, Boris Dubrovsky, está chefiando o estado-maior operativo", comunicou Dmitry Fedechkin, secretário de imprensa do governador.

Uma seção do edifício residencial desmoronou completamente em 31 de dezembro às 4h da manhã, horário de Moscou (em 30 de dezembro às 23h, horário de Brasília).

Segundo comunica um representante do serviço de imprensa do Ministério para Situações de Emergências russo, 48 apartamentos onde moravam 120 pessoas foram danificados. No total, dez pessoas foram recuperadas vivas dos escombros. No entanto, 68 pessoas continuam desaparecidas.

"De acordo com os últimos dados, os médicos prestaram assistência a 12 pessoas. Quatro delas foram hospitalizadas, inclusive uma criança", comunicou o Ministério da Saúde em Chelyabinsk.

Os serviços de emergência russos não excluem que podem ocorrer mais desmoronamentos. As seções vizinhas estão sendo evacuadas.

O Ministério está preparando duas aeronaves para enviar grupos de resgate ao local do incidente com todo o necessário para apoiar as autoridades locais. Atualmente 196 pessoas e 58 veículos participam da operação de resgate. 

O Serviço Federal de Segurança da Rússia (FSB) confirma que a explosão foi causada por um vazamento de gás doméstico e descartou outras versões do incidente.