Mundo

08/02/2018 as 13:00

Itália condena à prisão menores que fizeram estupro coletivo

Caso em praia de Rimini ocorreu em agosto do ano passado

Agência Ansa
Foto: Ansa<?php echo $paginatitulo ?>

O Tribunal para Menores de Bolonha, na Itália, condenou os três adolescentes acusados de cometer um estupro coletivo em uma praia de Rimini a nove anos e oito meses de prisão, com rito abreviado, nesta quinta-feira (8).

Os três jovens - que tem 15, 16 e 17 anos - foram considerados cúmplices de Guerlin Butungu, 20 anos, que foi condenado a 16 anos de detenção em regime fechado pelo crime, ocorrido em 26 de agosto de 2017.

Eles, juntamente com Butungu, estupraram uma turista polonesa em Miramare, agrediram o amigo que estava com ela e, após os dois crimes, ainda estupraram uma prostituta transexual peruana que estava próxima à praia.

A pena é um pouco menor do que a solicitada pela Procuradoria de Bolonha, que queria uma condenação de 12 anos para os dois irmãos marroquinos e um nigeriano. Eles ainda pediram a manutenção da prisão dos três, que foram detidos poucos dias após o crime.

Já a defesa dos jovens informou que eles estavam arrependidos pelos atos e esperavam clemência dos juízes, apesar de reconhecer que deveriam "pagar pelas consequências de suas condutas".

Segundo os advogados, os três reconheceram e se arrependeram dos crimes rapidamente, sendo seus depoimentos sempre verdadeiros.

Eles ainda lembraram que as acusações feitas por eles foram as responsáveis por prender o líder do grupo, Butungu, e ajudaram na condenação do homem.