Geral

14/02/2020 as 14:25

Brasil pode evitar 'desastre urbano' em meio a piora das chuvas e mudança do clima?

No Espírito Santo, centenas de desalojados e pelo menos 7 mortes

Agência Sputnik
Foto: © Folhapress / Futura Press/Ronaldo Silva / SPUTNIK<?php echo $paginatitulo ?>

O período de chuvas no início de 2020 deixou rastros de destruição na região sudeste do Brasil. Com o aquecimento global, isso tende a piorar. A Sputnik Brasil ouviu diversos especialistas para explicar o que pode ser feito para evitar desastres no futuro.
As chuvas de janeiro e fevereiro vieram com intensidade atípica em 2020 na região sudeste. Em Minas Gerais, centenas de cidades em estado de emergência e pelo menos 60 mortes. Em São Paulo, 7 mortes e milhares de desabrigados. No Rio de Janeiro, deslizamentos e prejuízo de milhões de reais. No Espírito Santo, centenas de desalojados e pelo menos 7 mortes.

Cientistas de diversos centros de referência no Brasil, como o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) e o Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais (CEMADEN) têm apontado que as chuvas tendem a piorar na região mais rica e mais populosa do Brasil ao longo dos próximos anos.

© Folhapress / Eduardo Anizelli
A forte chuva que atingiu São Paulo no dia 10 de fevereiro provocou vários pontos de alagamento na cidade.

A urbanização desordenada, a desigualdade social e as oscilações do clima são fatores que podem agravar ainda mais os efeitos das mudanças previstas pelos cientistas devido ao aquecimento global.

A Sputnik Brasil entrevistou um engenheiro civil, um meteorologista e um sociólogo para discutir soluções e entender o que esperar do futuro em um cenário de agravamento do padrão de chuvas na região.

'A inundação não é um problema do futuro, é um problema do passado'
"As chuvaradas de verão, quase todos os anos, causam no nosso Rio de Janeiro, inundações desastrosas". A frase que parece contemporânea é do escritor Lima Barreto, e abre um texto de 1915 chamado "As Enchentes", em que o autor descreve ao antigo jornal Correio da Noite sua insatisfação com a falta de ação do poder público diante das inundações.

Marcelo Miguez, engenheiro civil especialista em Recurso Hídricos da Escola Politécnica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), explica à Sputnik Brasil que as enchentes na região são um problema urbanístico centenário.