Geral

11/07/2019 as 10:56

Mais Médicos: Bolsonaro quer volta de cubanos após acusá-los de serem espiões

O governo do presidente Jair Bolsonaro pretende mudar as regras do programa Mais Médicos

Agência Sputnik
Foto: Roberto Castro/ME<?php echo $paginatitulo ?>

O governo do presidente Jair Bolsonaro pretende mudar as regras do programa Mais Médicos, a fim de incorporar alguns dos profissionais cubanos que permaneceram no Brasil após o término da iniciativa, informou a mídia local.

Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o governo pretende aprovar uma medida em agosto para que pelo menos "2 mil dos 8 mil cubanos que permanecem no Brasil" possam trabalhar no Sistema Único de Saúde (SUS) por um período de dois anos.

O programa Mais Médicos foi lançado pela ex-presidente Dilma Rousseff em 2013, para levar atendimento médico a regiões isoladas e pobres, e Cuba foi convocada para aliviar a falta de médicos brasileiros.

O acordo de cooperação foi quebrado pelo governo cubano em novembro passado, em resposta às críticas do então presidente eleito Bolsonaro, que comparou os médicos cubanos a escravos, acusou-os de serem espiões e questionou seu profissionalismo.

Depois da partida dos cubanos, o Brasil lançou dois editais para preencher as vagas, primeiro para médicos locais formados no país e depois para médicos treinados no exterior.

No entanto, muitas vagas não foram preenchidas porque muitos médicos desistem do processo, então governadores e prefeitos lamentam que ainda existam centenas de milhares de pessoas sem assistência médica.