Geral

13/02/2018 as 18:18

Multidão invade a Sapucaí e samba e canta no fim do desfile da Beija-Flor de Nilópolis

"Crivella, febre amarela", também foi um grito que durou até a dispersão do desfile

Agência Sputnik
Foto: Sputnik/Luana Rayssa<?php echo $paginatitulo ?>

A bateria parou de tocar e a multidão cantou o samba da Beija-Flor à capela. Foi a última escola a desfilar na segunda noite do Grupo Especial.

O enredo da escola, "Monstro é aquele que não sabe amar. Os filhos abandonados da pátria que os pariu", embalou o público, na voz do célebre Neguinho da Beija-Flor. 

Segundo o produtor José Ricardo Ferreira Andrade do Couto, de 56 anos, que participou da mobilização e acompanhou o evento, "ninguém quis abandonar a Sapucaí, e ninguém conseguiu segurar ninguém". "Foi um protesto bem colocado, contra a situação no Rio de Janeiro".

"A galera estava assustada. O pessoal começou a gritar fora Temer e é Campeã, e a Liesa cortou o som", disse o interlocutor da Sputnik.

"Crivella, febre amarela", também foi um grito que durou até a dispersão do desfile.