Geral

09/01/2018 as 19:16

Brasileiro é contra porte de armas e a favor da pena de morte

Já o porte de armas continua sendo rechaçado pela maioria da população

Agência Sputnik
Foto: CC BY 2.0 / M&R Glasgow / Gun Show<?php echo $paginatitulo ?>

Segundo pesquisa divulgada na segunda-feira (8), a maioria dos brasileiros é contra o porte de armas, porém cresce o apoio à pena de morte no país.
A pesquisa do instituto DataFolha aponta que em 9 anos o apoio da população à pena de morte cresceu. Em 2008, a taxa era de 47% e neste ano atingiu os 57%. Segundo a pesquisa, 39% se declararam contra a pena de morte, 1% é indiferente à questão e 3% não sabem responder.

Já o porte de armas continua sendo rechaçado pela maioria da população. Segundo dados da pesquisa, 56% dos brasileiros é contra a ampliação do porte legal de armas no Brasil para todos os cidadãos. No entanto, o índice registrou queda em relação aos últimos anos. Em 2013, 69% se disseram contra a possível liberação do porte.

Em 2016, o Brasil registrou um número recorde de homicídios. Foram 61.619 assassinatos no período de um ano, índice que tem crescido nas últimas décadas.

E relação à pena de morte, a pesquisa ainda revela que o apoio cresce conforme diminui a renda do indivíduo. A faixa etária que mais apoia a pena é de 25 a 34 anos, com 61% de manifestações a favor. Já entre idosos, acima de 60 anos, o apoio é o menor, 52%. Entre ateus, 54% são contra a pena de morte, entre evangélicos 45%, e entre católicos 34%. 

O instituto entrevistou 2.765 brasileiros de 192 municípios entre os dias 29 e 30 de novembro de 2017. 

No Brasil, a pena de morte é apenas utilizada em períodos de guerra declarada, segundo consta na Constituição do país. 

O número de países que utilizam a morte como punição tem diminuído. A maioria dos países do mundo, na lei ou na prática, não faz uso da pena de morte. Ao menos 141 países não utilizam mais essa punição.  

O uso da pena de morte diminuiu significativamente nas últimas duas décadas. Em 1997, pelo menos 40 países utilizavam a pena capital. Já no ano passado, esse número teria diminuído para 23.

Segundo dados de 2016 da Anistia Internacional, 1.032 pessoas foram executadas através da pena de morte em todo o mundo naquele ano.

A pena de morte fora utilizada em 23 países, sendo China, Irã, Arábia Saudita, Iraque e Paquistão os maiores executores. A China lidera o ranking. Em 2016, pela primeira vez os Estados Unidos não apareceram entre os 5 primeiros, surgindo em 7º.