Em Foco

16/10/2020 as 19:56

Aos 89 anos, Palmirinha conta como tem sido o isolamento em casa

Em entrevista para o Estadão, ela contou com tem passado os meses de isolamento

fonte
Foto: Divulgação<?php echo $paginatitulo ?>

Por João Pedro Malar
A apresentadora Palmira Onofre, mais conhecida como Palmirinha, ficou famosa não apenas por ensinar diversas receitas para o público na televisão, mas também pelo carinho que tem com seus "amiguinhos e amiguinhas", como chama os fãs. Porém, o ano de 2020, com a pandemia do novo coronavírus, mudou os planos da cozinheira, e exigiu adaptações à nova realidade.

Palmirinha tem 89 anos e, pela idade, faz parte do grupo de risco de covid-19, assim como pessoas com doenças cardiovasculares, problemas respiratórios, diabéticos, hipertensos e obesos. Por isso, desde que a pandemia começou, a apresentadora precisou pausar todos os seus projetos, e ficar isolada em casa. Em entrevista para o Estadão, ela contou com tem passado os meses de isolamento.

"No começo eu parei com tudo, porque faço parte do grupo de risco", conta Palmirinha. A apresentadora então, precisou enfrentar um novo desafio, o de se manter ativa e se distrair mesmo não podendo sair de casa e ver seus familiares, amigos e fãs.

Morando com uma de suas filhas e um genro, ela conta que se voltou para a culinária, sua tradicional companheira na televisão, para ocupar a cabeça durante a quarentena: "Estou procurando fazer outras coisas, me dedicar a outras coisas, vou pro fogão, faço bolinho de chuva, coisas diferentes, para ocupar um pouquinho meu tempo".

As receitas ajudam Palmirinha não apenas a preencher a rotina no dia a dia, mas também servem como forma de interagir com seus seguidores nas redes sociais, como forma de substituir a ausência do contato humano.

"Diminui bastante o contato [com os fãs], senti muita falta de receber o carinho na rua, poder participar com eles de alguma coisa, foi muito difícil pra mim. Agora eu estou conseguindo mandar alguns recados pras minhas amiguinhas e amiguinhos pela internet", comenta.

Na conta de Instagram da cozinheira é possível notar que várias publicações são de receitas que Palmirinha está descobrindo, ou voltou a fazer depois de alguns anos. Segundo ela, compartilhar esses pratos é uma forma de "retribuir o carinho muito grande" que recebe dos fãs.

A tecnologia ajuda também a manter o contato com amigos e familiares, que ela ainda não pode ver. "Quando a saudade aperta, eu ligo para familiares e amigos e agora como tem um telefone que a gente pode até se ver, eu vejo eles e sei que eles estão bem", conta Palmirinha, sobre chamadas de vídeo, que se popularizaram durante a pandemia.

Palmirinha comenta que é importante que os idosos consigam se proteger e permaneçam em casa, mas destaca que é preciso buscar formas de fazer algo durante esse período.

"Pega um livro. Sabe fazer crochê, tricô? Pega e faz. Se dedique para alguma coisa para conseguir passar o tempo. A quarentena é muito importante. Tem que se cuidar e cuidar do próximo também", aconselha. "Esse ano foi muito difícil, mas é preciso ter fé em Deus e pensar sempre melhor. Sempre tem um começo, meio e fim, e tenho certeza que tudo isso vai passar."

Mesmo com os desafios, Palmirinha também continua a desenvolver um lado mais "empreendedor", como citado na entrevista. O lançamento de uma linha de pães de queijo com a marca Vovó Palmirinha estava prevista para 2020, mas foi adiado com a pandemia.

A ideia, agora, é lançar o produto em 2021, e a expectativa é que ele seja seguido por outros produtos na área de alimentos. "Eu tinha alguns projetos mas tive que parar por causa da pandemia, em 2021 eu vou dar andamento neles", promete ela.

Nessa linha, também começará em 2021 o lançamento de franquias da Casa Vovó Palmirinha, um estabelecimento comercial em São Paulo que vende salgados e doces, seguindo as receitas da cozinheira.

Palmirinha mostra como é importante se manter ativo, independente da idade, e que nunca é tarde para começar novos desafios, mesmo durante uma pandemia.