Economia

07/01/2019 as 22:22

Dólar americano pode estar prestes a sofrer queda, afirma grupo financeiro multinacional

No dia 4 de janeiro, o chefe do regulador alertou que a autoridade financeira poderia rejeitar as taxas de juros mais altas

Agência © Sputnik
Foto: © Sputnik / Alexei Sujorukov<?php echo $paginatitulo ?>

Após as declarações do chefe da Reserva Federal dos EUA, Jerome Powell, foi prevista desvalorização da moeda norte-americana por um dos maiores grupos bancários de investimentos e valores mobiliários do mundo, o Goldman Sachs.

No dia 4 de janeiro, o chefe do regulador alertou que a autoridade financeira poderia rejeitar as taxas de juros mais altas se a economia do país tendesse a enfraquecer, referindo-se aos eventos de 2016, quando as taxas permaneceram inalteráveis quase o ano todo, devido à preocupante desaceleração do crescimento na China.

Devido a isso, os analistas do Goldman sugeriram que o Banco Central poderia impedir o aumento das taxas de juros.

Considerando os dados líquidos dos EUA para o mês de dezembro, "acreditamos que a Reserva Federal, mais dependente de dados, cria condições para mais uma queda do dólar", alertou a equipe de estrategistas, liderada por Zach Pandl.

Em relação a isso, os especialistas recomendaram a opção pelo índice DXY curto (índice do dólar americano que mostra sua correlação com moedas de outros países), com meta de alcance entre 93 e 97,5 pontos. 

De fato, desde maio de 2018, o índice DXY não foi inferior a 93, com a moeda fortalecida graças ao forte crescimento econômico. Contudo, o ponto máximo alcançado em novembro foi de 97,5.

Já no dia 4 de janeiro, a taxa permaneceu em um nível de 96,179, declinando pela terceira semana consecutiva, uma vez que não conseguiu obter ganhos do extremamente forte relatório mensal de folha de pagamento dos EUA.