Economia

10/10/2018 as 10:45

Como Pequim ataca ponto econômico mais sensível dos EUA

A China deixou de comprar o gás liquefeito norte-americano desde agosto de 2018

Agência Sputnik
Foto: Pedro Ventura/ Agência Brasília<?php echo $paginatitulo ?>

O conflito comercial desencadeado por Washington já causou graves consequências para os próprios norte-americanos: a China atacou o setor de petróleo e gás dos EUA, que a Administração do presidente Donald Trump prioriza no âmbito da sua ambiciosa política econômica.

Enquanto os EUA queriam apostar na produção de gás natural liquefeito, a China cortou a zero as importações deste combustível norte-americano, embora em 2017 os EUA tenham sido o segundo maior exportador do gás natural à China, informou a Reuters.

A China deixou de comprar o gás liquefeito norte-americano desde agosto de 2018, quando Pequim adotou taxas aduaneiras de 10% sobre o gás estadunidense em resposta às tarifas contra as importações chinesas impostas pela Administração de Trump. 

Anteriormente, a mídia informou que, no meio do conflito comercial entre Washington e Pequim, a China deixou também de comprar petróleo norte-americano, mas isso não é tão sensível para os EUA como a situação do gás.

s EUA planejam realizar grandes investimentos na infraestrutura para produção de gás natural liquefeito e a recusa da China de comprar gás norte-americano pode causar problemas para o financiamento desses projetos.

Essa situação poderia pôr fim às esperanças dos EUA de se tornarem o segundo maior ou mesmo o maior exportador do gás natural liquefeito no mundo, sublinham os analistas.