12/01/2018 as 17:40

'Racista': africanos respondem a Trump após comentário sobre 'países de m*rda'

A mídia também repercutiu o tema

Foto: © AP Photo/ Andrew Harnik<?php echo $paginatitulo ?>

Os governos africanos detonaram o suposto comentário do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre "países de m*rda", que seria endereçado aos países do continente. A mídia também repercutiu o tema, sugerindo paralelos entre a Casa Branca e o grupo supremacista Ku Klux Klan (KKK).
A notícia vem depois de uma reportagem do jornal The Washington Post, citando fontes, afirmar que Trump se referiu a alguns países africanos, bem como ao Haiti e a El Salvador, como "países de m*rda" durante uma discussão sobre a proteção das pessoas desses países como parte de um acordo bipartidário de imigração.

Respondendo à alegada observação na sexta-feira, a União Africana (AU) disse à AP que estava "francamente alarmada" pelo comentário.

"Dada a realidade histórica de quantos africanos chegaram aos Estados Unidos como escravos, essa declaração explode com todos os comportamentos e práticas aceitos", disse a porta-voz da UA, Ebba Kalondo. "Isso é particularmente surpreendente, já que os Estados Unidos da América continuam a ser um exemplo global de como a migração deu origem a uma nação baseada em valores fortes de diversidade e oportunidade".

Revolta continental

Os países também tocaram individualmente no assunto, com Botswana lançando uma declaração que chamou o comentário de Trump de "altamente irresponsável, repreensível e racista". O governo local disse que o país convocou o embaixador dos EUA a "expressar seu descontentamento com os supostos enunciados".

"O governo de Botswana está se perguntando por que o presidente Trump deve usar esse linguajar e palavra depreciativa ao falar sobre países com os quais os EUA tiveram relações bilaterais cordiais e mutuamente benéficas há tantos anos", diz o comunicado.